quarta-feira, 24 de setembro de 2008

você


Não acredito.
Você me faz rir, mas dar gargalhadas mesmo.
Você me deixa pra cima, você tem um ótimo senso de humor.
Adoro, adoro.

você não entende...


Até queria lhe perguntar alguma coisa, mas depois que vi seu rosto me perdi.

Pensei tanto em você ontem a noite, esperei você chegar, como não veio, esperei que ligasse, mas também não se importou com isso.

Até queria fala de outros assuntos, mas depois que ouvi sua voz, preferi ficar calado.

Até queria muitas, mas muitas coisas com você, mas sinto que não posso continuar a me entregar a seus beijos.

Já não sei mais o que fazer, acho que não te quero mais.

domingo, 21 de setembro de 2008

certo pensamento

Um dia irei estar mais ao seu tempo...
Nesse mesmo tempo estarei mais tranquilo.
Falarei menos, ouvirei mais, viverei mais sereno.
E claro, amarei mais.

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

O momento


Num momento translúcido, numa imagem contemporizada, arredia, me levito em sons inimagináveis. Sorrio, desleixado com tudo que não desperta em mim ânsia de ser, de viver, de estar. Sabido que antes de qualquer coisa sou eu mesmo, permaneço onde estou, dentro de mim, aguardando, castigado e esperançoso o momento em que cruzará meu caminho tamanho amor, que nada mais pensarei nesse instante, apenas me entregarei, amarei. E ali, ao som de Piaf, num espaço inundado de uma luz âmbar, beijos serão dádivas de vida, de calor. E o meu olhar jamais perderá o brilho.

domingo, 14 de setembro de 2008

Acredito


Eu acredito. Não adianta as coisas darem errado, o destino tramar contra, porque eu acredito no amor. Até tentei me desvirtuar, imaginando que seria fácil viver sem esse amor que tanto quero, que tanto almejo, mas não consegui me enganar por muito tempo.

O melhor de tudo, é que a medida que o tempo vai passando, e eu não tenho esse amor perto de mim, mais eu quero, mas sinto necessidade de conhecê-lo. E como o tempo de vida diminui, mas ele se torna imprescindível a minha vida. Eu quero me entregar por inteiro, ser todo, saber porque estou e porque está comigo. Não ter pressa, ser humano, não quero um amor lúdico, de pura poesia, mas quer a poesia também.

Eu acredito no amor e como acredito.

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Poesia de Banheiro

video

Um dia a flor cai

Perdido no esquecimento, olhando qualquer coisa quase nada, vivendo num abismo de tudo sempre, olhando pouco para o lado
Nesta escuridão proposital, não vê que tudo muda, tudo se vai?

Novas divagações sobre o olhar

Olhar perdido, desencontrado, almejando fixar-se, buscando horizonte, pensando em si, analisando o que foi feito, planejando algo novo.
Solta a fumaça do cigarro, respira fundo antes do próximo trago, nova correnteza de pensamentos, novas formas de si ver e de ver as coisas.


Finda o dia, sol se vai... amanhã recomeço minha vida, amanhã um novo olhar.

quinta-feira, 11 de setembro de 2008


Num céu de entardecer...

Beira mar, vento soprando do meio dele pra dentro da cidade.

Lua que se destaca sobre o crepúsculo e uma pipa rodopia, paira, brinca com tudo, sorri.

Desleixada com o que acontece aqui em baixo, visão fria dos passantes.

Some, deixa de aparecer à esses olhos tristes.

Reaparece, vermelha, dando adeus, sapateando em meus pensamentos e vai-se, perdida.


Vendo tudo de uma forma clara.
Aquecendo um tanto menos os nervos.
Deixando-se leve, ao vento.
Percebendo e vendo ao longe uma possibilidade de tranquilidade, sabendo que tudo isso é crescimento.
E o mar bastante agitado, prenuncio de chuva, deixa o horizonte acinzentado.
Piaf cantarola em meus ouvidos, lembro-me da grandona, sinto vontade de chorar,
mas apego-me a sua fortaleza, ao seu senso crítico.
Engulo... Destilo meu choro.
Paro em tudo.

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

confuso


Um mundo tão grande,

o oceano tão profundo,

E tamanha tristeza...

São vontades não realizadas,

desejos não correspondidos,

sonhos desiludidos,

amores não contemplados,

poemas não lidos,

palavras não ditas,

gritos não dados,

lágrimas não derramadas.

Estou me perdendo, estou me deixando passar, esquecer.

Não estou sendo eu mesmo ou estou?

Confuso.

Não sei o que dizer, o que conversar, o que explicar.

domingo, 7 de setembro de 2008

Você é quem sabe


Ai! Ai!
Você é quem sabe, depois não diga que não avisei.
E não vai ser a primeira vez.
Tudo bem, vai em frente.

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

O vento, o acaso e você


Perdi-me em um vento que passou. Vadiei por aí, consegui até me instaurar em alguns lugares, mas tornou a soprar e fui, fui seguindo horizontes, perpetuando sentimentos, vivendo o acaso. Mas de repente surgiu em minha frente seus olhos, seu cheiro, seu gosto, sua insensatez e seu jeito único de me ter.

Perdi-me em ti, ando por aí pensando em você, consegui até desviar meu olhar, meus pensamentos, mas tu me tocaste novamente e voltei, voltei para teu lado, aumentando sentimentos, vivendo nosso amor.

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Colo de mãe


Meio perdido, procurando pensar nas coisas boas, nas paixões do passado, no meu amor incondicional pela minha eterna grandona e imaginando o que ela me diria nesse momento tão forte da minha vida, choro... Fico triste, não pela saudade somente, mas porque não consigo saber mesmo o que fazer, que caminhos percorrer, que passos dar primeiro. Queria o seu colo mãe, por mais que fosse por pouco tempo, mas esse tempo seria esclarecedor e confortante.

Mas tudo bem, estás com Deus e o muito que posso fazer, é pedir a Ele que me ilumine.

E assim sigo...

Novos espaços, outros cantos


Cabeças Cortadas Universo de Retalhos - Parceria com minha irmã Danielle Freitas

Parte de mim - o que vira escrita...

Os que me olham, me sentem e me acomapanham

Contador de visitas

Contador de visitas