quinta-feira, 14 de maio de 2015

Arme-desarme ou Pedacinhos de doce sortilégio

+ Em um dia chuvoso, enquanto esperava debaixo de uma árvore não sei bem o que ou quem, alguém veio em minha direção e me chamou a atenção, dizendo que eu poderia ficar resfriado, então estendeu o guarda-chuva, para que dividíssemos. Não me conhecia, não sabia quem eu era, o que tinha feito, porque estava ali, apenas quis me proteger da chuva. ++ Você pensa demais. É perigoso. Evito ao máximo fazer isso. +++ Catou as cinzas de cigarro com a ponta do dedo molhada de saliva e depois raspou na borda do cinzeiro. ++++ Hoje tudo parecia querer me tirar do prumo. Mas cantei, sorri e não levei a sério os percalços do caminho. +++++ Será que podemos buscar a memória do que não vivemos? Ou é mais fácil ignorarmos tudo que poderemos viver amanhã?


Nenhum comentário:

Novos espaços, outros cantos


Cabeças Cortadas Universo de Retalhos - Parceria com minha irmã Danielle Freitas

Parte de mim - o que vira escrita...

Os que me olham, me sentem e me acomapanham

Contador de visitas

Contador de visitas