segunda-feira, 8 de junho de 2009

Sonho de primavera

O sol mais forte. Nos varais, brancos panos a reluzir. Um sentimento de limpeza se instaura dentro de mim. Cheiro de terra que se molhou propositadamente. As flores das laranjeiras gracejam e exalam perfume ímpar. Nada de novo nesta minha vida, mas tudo é paz e isso me conforta. À noite estarei cansado, mas receberei a taciturna de forma mais clara, escreverei mais, apreciarei um bom livro. Tomarei um café mais forte. Talvez apareça alguma visita, mas quem sabe não apareça ninguém. Mas estarei comigo e isto me basta. Amanhã acordarei mais tarde e tudo será como sonho de primavera. Muita cor, muita felicidade estonteante. Nada me exaspera. Tudo me reporta ao belo. Apenas eu. Sem nada demais nem de menos. Um tempo inteiro sem pressa. Tudo no seu devido lugar.

2 comentários:

Luiz Calcagno disse...

O medo que dá é de ser amanhã...

Abraços

Avassaladora disse...

Plínio, a alma ga gente também fica mais lima depois de ler seu texto...

E fica essa sensação de plenitude...

Apenas eu comigo mesma!

" Sem nada de mais nem de menos..."



Beijos avassaladores!

Novos espaços, outros cantos


Cabeças Cortadas Universo de Retalhos - Parceria com minha irmã Danielle Freitas

Parte de mim - o que vira escrita...

Os que me olham, me sentem e me acomapanham

Contador de visitas

Contador de visitas