sábado, 4 de julho de 2009

Frivolidades

Pedaços de céu sobre minha cama.
Coisas tantas estão à nossa frente.
Basta observar, apalpar.
Beijinhos, toques despretensiosos ou não.
Um vento calmo rondando meus pensamentos.
O dia por si só passa e basta.
Porque eu ciente de tudo: vivo.
Uma xícara de café instantâneo com leite.
O despertar morno, devagar.
A noite se debruça e foge.
Aquele olhar que diz.
O sorriso cheio de certeza.
Sem marcações, ensaios ou rascunhos.
O leve passo que marca.
o caminhar junto.
O largar dos corpos.
E o céu se cai em sonho, em realidade.

3 comentários:

Anitha Rosenrot disse...

Nossa Plínio! Fico feliz de você ter gostado das minhas palavras...Escreves muito bem,moço!
Fiquei toda boba por isso até! Não conhecia o e-blog não,que legal!Só não entendi direito como funciona haha Mas de qualquer forma,obrigada!
Abraços...
vou voltar aqui mais vezes!

Improvisos de um louco disse...

Tudo isso, muitos chamam de solidão...

fabio ferreira disse...

o céu ahhhh o céu
que seja azul

Novos espaços, outros cantos


Cabeças Cortadas Universo de Retalhos - Parceria com minha irmã Danielle Freitas

Parte de mim - o que vira escrita...

Os que me olham, me sentem e me acomapanham

Contador de visitas

Contador de visitas