sábado, 23 de fevereiro de 2013

Tatuagem


Vasto espaço, largo descampado, praieira planície sob meus pés, correndo, andando, parado, barcos, balões, caminhões, pássaros sobrevoando minha cabeça, de tanto te procurar me perdi, esquinas, vielas, avenidas de um coração tão pleno, desatino cristalino em dias de sol, quando chove incansável busca não se finda, parte inteira do todo não se pode esquecer. Meu amor estendido nos diversos varais, quintais, sentado às portas das casas, passantes olham, não vem ou não entendem, seguem. Estive nos faróis a fim de te ajudar, deixei rastros de pão, perfume, pedras. Tantas fogueiras e sinais de fumaça, e aqui dentro tudo queima. L'amour est l'amour et tout s'installe. Acredito demais, penso demais, vivo demais e nada será capaz de me arrancar isso. Posso tropeçar, espinhos rasgar minha pele, matas densas dificultarem que eu entre. Logo, sempre estabelecido, estarei de pé, guerreiro soberano do sentimento, lanças feitas de poesia, cordas trabalhadas em canção, espada forjada em perfume e sorrisos, escudo talhado em paixão, armadura de corações que amam e na alma certeza do ser.

Nenhum comentário:

Novos espaços, outros cantos


Cabeças Cortadas Universo de Retalhos - Parceria com minha irmã Danielle Freitas

Os que me olham, me sentem e me acomapanham

Contador de visitas

Contador de visitas