sexta-feira, 5 de abril de 2013

Cuidado!! Frágil!!


Sinto-me como se todos achassem que sou uma bomba – favor manusear com cuidado. Tenho na sala um abajur em forma de disco voador. Tenho a sensação de que ele voa perdido em minha sala, procurando o caminho de volta, para depois me levar daqui. Alguns anos se passaram rasteiros e vejo o espelho me afrontar, mas de uma forma tão ousada, como uma serpente aguardando a hora certa e a qualquer momento o bote, certeiro, que me fará sufocar com o veneno mais imoral que existe. Olho para tudo com uma precisão de atirador, aqui nada muda, as flores só retiro quando estão totalmente mortas. Penso em mudar as cores da parede, mas o que precisa realmente ser alterado está tão incrustado. É como um peso que é impossível de levantar. Tem dias que os equinos galopeiam em meu telhado, engraçado como as asas surgem e desaparecem – enquanto alados, acompanham em um teto aparente nos passos que dou fora de casa, quando no chão, eles brincam de correr em liberdade sobre o barro queimado de minhas telhas. Faz muito que tento adestrá-los, mas são selvagens por demais e não consigo selar. Canto aboios tristonhos e nada. Canto aboios felizes e nada. Em silêncio e nada. E de tanto nadar cheguei a lugares incrivelmente distantes, onde nem mesmo o disco voador me levou. As vezes cruzo olhares com pessoas que são afins, penso que me reconhecem, que sabem do meu óvni disfarçado de abajur, mas creio que tem medo de se declararem e eu também. Em dias de chuva, pássaros invadem em sons minha janela, cantam tão loucamente felizes e me instauram o sentimento tão jocoso. Em dias de chuva, sinto que a vontade de encontrar outros extraterrestres se fortalece, é como se as gotas que caem interligasse a energia cósmica que nos une. Mas tem muito de planeta Terra que nos prende, gravidade, medo, receio, angustias. Sinto que preciso partir ou me tornarei tão humano quanto um humano. Os cavalos chegaram, preciso por a sela ou partir montado em pelo. 

Nenhum comentário:

Novos espaços, outros cantos


Cabeças Cortadas Universo de Retalhos - Parceria com minha irmã Danielle Freitas

Parte de mim - o que vira escrita...

Os que me olham, me sentem e me acomapanham

Contador de visitas

Contador de visitas