domingo, 8 de agosto de 2010

Amanhecendo

Ao meu pai, aos nossos pais, à todos os pais.

Escancarado. Um céu deslumbrantemente azul, vento soprando, árvores de verde vistoso, assim amanhecia o dia, e minhas pernas ficavam molhadas por conta do orvalho deixado pela brisa noturna. Tanto tempo sem amanhecer com o dia. Tanto tempo deixando de lado coisas simples que me dão tanto prazer. Mas hoje sendo exatamente hoje, e eu desde ontem, desde sempre com esse sentimento para ser posto para fora, precisava ficar acordado com a noite e ver o dia brotar cheio de brilho. Há um tempo que penso em escrever sobre esse sentimento, mas sempre adiava, talvez porque não me sentir maduro o suficiente ou mesmo pelo fato de ser covarde em assumi-lo. Mas chegado esse momento, percebo que existem as duas situações nesse contexto, tanto a imaturidade quanto a covardia de mostrar o que se sente. Pois bem, essa agonia toda é para dizer pai que eu te amo muito, que o senhor é importante demais para mim. Que demorei de reconhecer essa importância e que hoje, mais do que nunca, sei que sem você eu não estaria onde estou hoje, que sem o seu apoio eu jamais, jamais, dormiria tranquilo. Que quando nos falamos aos domingos, sinto-me mais cheio de energia para começar minha semana. Que reconheço todos os meus erros e peço perdão por minhas mentiras. Que sinto muito que a mãe tenha partido para eu entender e te dar tanto valor, por que na verdade, eu já dava todo esse valor, mas tinha medo de externar. Mas que com a saída de cena dela, tudo precisou ser mais claro, mais intenso. Peço desculpas se te fiz ficar preocupado, se te fiz chorar, mas saiba que jamais deixarei de te amar, que sempre serei quem eu sou, humano, verdadeiro, crente na amizade, correto por mais que já tenha errado, porque o senhor me deu todos os parâmetros para ser bom. Obrigado meu pai por tudo, por tudo mesmo. Por isso fiquei acordado com a noite e assim permaneci com o dia, para escrever isso tudo, que não é tudo, mas que de alguma forma, mostra tudo que sinto e que até então, não tinha te dito.

Grande abraço perfumado.

Nenhum comentário:

Novos espaços, outros cantos


Cabeças Cortadas Universo de Retalhos - Parceria com minha irmã Danielle Freitas

Parte de mim - o que vira escrita...

Os que me olham, me sentem e me acomapanham

Contador de visitas

Contador de visitas