quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Fim do dia


Era um dia como qualquer outro, céu azul, poucas nuvens e um sol que embriagava. Eu sentia algo diferente dentro de mim, aquela sensação de que algo bom está para acontecer e isso me deixava nervoso, ansioso. Mas mesmo assim, meu dia foi rolando, lindo. Ao fim desse dia, vendo o por do sol, enquanto acendia um cigarro, alguém parou em minha frente, tirou-me o pleno direito de ver o crepúsculo. Não demorei a lhe pedir licença, fui atendido com um sorriso encantador, e logo veio sentar-se ao meu lado, pediu-me um trago e enquanto soltava a fumaça, dizia-me seu nome. Inebriado com seu sorriso, quase esqueci de me apresentar. Perguntou-me se havia algo de errado, eu falei que não, apenas sentia em seu sorriso algo de grande, de belo demais. Tornou a sorrir, me deixando mais perdido. Tocou a minha mão, senti tudo estremecer dentro de mim, ali ficou por um instante, pareceu uma eternidade mágica. Enquanto isso, o sol continuava a fugir e eu ali, sem saber o que fazer... Não precisei fazer nada, perguntou se podia deitar com sua cabeça em meu colo, falei que sim e assim fez, novamente abrindo aquele sorriso, agora eu vendo de cima. Não resisti, beijei, beijei e fui correspondido. Aquele instante, aquele beijo, me sentia evaporar, desmanchar. Depois nos olhamos, novos sorrisos e a última contemplação daquele sol poente. Mas entramos pela noite com conversas e beijos.

Um comentário:

Jackeline Montibeler disse...

Que fim de dia perfeito! =)

Novos espaços, outros cantos


Cabeças Cortadas Universo de Retalhos - Parceria com minha irmã Danielle Freitas

Parte de mim - o que vira escrita...

Os que me olham, me sentem e me acomapanham

Contador de visitas

Contador de visitas