sexta-feira, 13 de março de 2009

Em relação ao tempo

Num tic-tac compassado, saio por esses caminhos e cuco. Volto para dentro da casinha. Às cinco em ponto da tarde aquele chá à moda inglesa. Blem-Blem-Blem. É a hora da ave Maria, rezo. Volto para o alto da torre. Mas de que adianta contabilizar o tempo e perder tempo fazendo isso?
E então o poetinha diz: "...meu tempo é quando...".

Um comentário:

fabio ferreira disse...

o tempo é agora...é sempre....e nada disso...né não..rsrsr
bjs

Novos espaços, outros cantos


Cabeças Cortadas Universo de Retalhos - Parceria com minha irmã Danielle Freitas

Parte de mim - o que vira escrita...

Os que me olham, me sentem e me acomapanham

Contador de visitas

Contador de visitas