terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Desabafo

É bastante triste, mas sou eu.
Era para ser um segredo, um mistério.
Algo muito bem escondido de mim mesmo.
Mas veio à tona.
Está exposto, por cima de tudo.
Não há peneira escondendo, não há nada.
Mas só os que são sensíveis podem ver, perceber.
Sentado de baixo do chuveiro, deixando escorrer,
Como se ali esvaísse o que de mim não quero mais,
O que tenho de podar, esquecer.
E meu pensamento ao mesmo tempo que está em mim, corre.


*****
Uma lágrima em vez de um beijo. Deixado, largado.

3 comentários:

samantha disse...

Estou acompanhando seu blog a pouco tempo, mas adoooooooro. Vc sempre preciso e sensível o suficiente para conseguir transmitir em palavras todo o seu sentimento. E isso é um dom! Parabéns! Felicidades sempre!
bju

Menino-Homem disse...

á toa na net... e feliz aqui!

Vinícius Aguiar disse...

Como dito antes, palavras que derramam sensibilidade e acima de tudo fortes e intensas! Parabéns!

Novos espaços, outros cantos


Cabeças Cortadas Universo de Retalhos - Parceria com minha irmã Danielle Freitas

Parte de mim - o que vira escrita...

Os que me olham, me sentem e me acomapanham

Contador de visitas

Contador de visitas