quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Leve

Flores ao tempo.
Perfume ao vento.
Cores tantas e nada de sombras.
Vermelho sangue. Verde folha. Amarelo mostarda.
Azul, ah esse azul que me veste.
Pele ensaiando sentir daquele jeito.
Cantarolando, rindo descuidadamente.
Uma paz que invade.
Uma oração depois do dia se passar, agradecimento.
Um morno pensamento nos desejos.
Até saudoso de outras coisas.
Mas eu mesmo tranquilo.
Aquele mesmo menino-bicho-grilo.

8 comentários:

Van disse...

Somos tão arco-íris!!!!!!!!!!
=))))
Bonito isso, moço.
Beijuca

Geraldo Brito / Dado disse...

Leve!

[ rod ] disse...

As cores e suas junções... os desejos e seus elos... numa explosão de sentidos.

Abçs meu caro,







Novo Dogma:
adiCto...


dogMas...
dos atos, fatos e mitos...

http://do-gmas.blogspot.com/

tossan disse...

Muito bonito o seu pema! Abraços

Nadezhda disse...

"Aquele mesmo menino-bicho-grilo."

Lembrei de mim ao ler esse verso ;)

Van disse...

Querido,
Eu posso tardar, mas nunca falho!!!!
Acabo de postar o prêmio que você me deu. Passa lá pra ver. Muito obrigada, viu?
Beijucas, lindão!

Vinícius Aguiar disse...

Adorei, maravilhosas palavras, e bem reflexivas também! Parabéns!

samantha disse...

Sempre... sempre viajando em suas palavras...
beijão

PS.: Passa lá no blog e dá uma espiadinha no video que é uma reflexão baseada nas palavras do sábio Xico Xavier. Acho que vai se idêntificar hehehe
beijão de novo :)

Novos espaços, outros cantos


Cabeças Cortadas Universo de Retalhos - Parceria com minha irmã Danielle Freitas

Parte de mim - o que vira escrita...

Os que me olham, me sentem e me acomapanham

Contador de visitas

Contador de visitas