terça-feira, 15 de junho de 2010

Basta. Fim de papo. Verdades

Percebi meu bem.
Nem sempre é preciso dizer algo.
Caiu certo como um raio esse silêncio.
Mas te pergunto mesmo sem saber as respostas:
Era preciso se calar?
Era preciso continuar fugindo?
E ainda assim ouso dar-te a resposta:
Covarde!
Perdeste algo bom, algo verdadeiro.
Porque se me coloquei desta forma,
é porque eu saltei todo orgulho que um dia ousou existir dentro de mim,
porque aquela máxima que te citei, ela é verdadeira, mas eu tinha medo de continuar sendo-a.
Então ficas com teu silêncio, ele nada mais é que o teu desejo de continuar, mas onde a coragem lhe falta.

Nenhum comentário:

Novos espaços, outros cantos


Cabeças Cortadas Universo de Retalhos - Parceria com minha irmã Danielle Freitas

Parte de mim - o que vira escrita...

Os que me olham, me sentem e me acomapanham

Contador de visitas

Contador de visitas