sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Chão forrado: primavera descuidada

Bem que precisava dessa primavera mais florida. Não que já esteja tudo em flores, apenas os ipês começaram a florir. Gosto dos ipês, de como se enchem de uma hora para a outra de flores: rosas, amarelas, brancas. E gosto mais ainda quando as flores começam a cair e forrar o chão e vai me dando uma sensação de eu mesmo estar florindo e depois caindo. É nesse período que alguns pensamentos voltam, ficam mais férteis, como se soubesse que logo após virá o verão ensolarado de vida, para brotar mais vida no outono.

Mas sinto que ainda faltam mais flores e mais flores e mais flores para me sentir próprio dentro colorido o suficiente para ficar ao sol, ao som de Bach, tão furtivo e ao mesmo tempo tão centrado. Hoje pensei em sair correndo por uma avenida, assim que vi os ipês cedendo suas folhas verdes para centenas milhares de flores rosas e brancas. Resignado, resisti à tentação e continuei andando, pensando no futuro, no dia de amanhã, que despertará intangível e me fornecerá a mesma avenida com flores pelo chão – e então não sei se conseguirei segurar o ímpeto de correr na cama de cores, de pétalas.

Ao mesmo tempo em que transbordo em ver-me florido refletido em copas e avenidas, percebo-me inconsequente, largado, como a própria flor que caíra. Louco para querer ficar preso ao galho, mas como sina intransferível vejo-me caindo lentamente para ser pisado e secar ao mesmo sol que me fará frutífero. Descuido? Não, reação natural, consequência lógica do seguir adiante para nascer sementes, gerar mudas, e crescer árvores floridas.

Qualquer dia próximo, mas muito próximo, não serão somente os ipês que darão as cores de minha alma, mas bromélias, orquídeas, gerânios, hortênsias, margaridas, calêndulas que sempre estão a florir, roseiras, acácias, flamboyants, girassóis a girar, e todas outras tantas que peculiares, brindam o dia e a noite com cores e perfumes. E eu, descuidado e preciso, terei mais motivos para correr entre parques, praças, ruas, avenidas ou mesmo ficar parado e ver florir os pensamentos.

Um comentário:

todosossentidos disse...

Sempre apressados, descuidados e imprecisos...
Mas é bom sentir a vida pulsando tão perto.
Basta olhar um pouquinho ao redor.
Lindo texto.

Abraço
Neo

Novos espaços, outros cantos


Cabeças Cortadas Universo de Retalhos - Parceria com minha irmã Danielle Freitas

Parte de mim - o que vira escrita...

Os que me olham, me sentem e me acomapanham

Contador de visitas

Contador de visitas