domingo, 21 de novembro de 2010

Tonto: Perdido no caso do acaso causado

Parque de diversões abandonado. Palhaços sem risos sem graça sem piadas e brincadeiras divertidas. Já não se tem quem queira ir rodar na roda gigante rodante nem trem fantasma, carros que batem batem batem batem, muito menos casais dividindo uma única maçã do amor, nem crianças com bocas meladas de algodão doce. Jovens que se transformam em adultos mal humorados cansados fatigados consumidos pelas drogas que agora dão o movimento de girar da roda gigante que gira doidamente varrida. Os parques agora são as ruas sem saída mal cheirosas, feito os ralos que escorrem correm baratas e ratos e bichos vários. Para que buscar tanto palavras exatas para as coisas e sentimentos e ações se o que vale mesmo é entender o sentido as coisas sentimentos e ações. Mas afinal ninguém está buscando entender nada muito pelo contrário pelo jeito tudo está perdido eu você eles aqueles porque tudo está se indo esvaindo como o bebum que está vertendo todo o líquido etílico da garrafa no copo para virar gute-gute e sair dali para passar pela mesma ruazinha absolutamente fedorenta e ele mesmo do mesmo jeito depois passar pelo parque de diversões abandonado coabitado por mendigos e ver a roda gigante parada porém ele mesmo está rodando rodando cambaleando em torno de si e chega em casa agressivo batendo queimando xingando a esposa e a filha e o filho e a vizinha e mais ainda a sogra que pariu aquela filha de alguma coisa. Mas foi ele, o bebum, que foi tirar a mesma filha de alguém para desposar-lhe e prometer cuidar zelar na saúde na tristeza na alegria na morte não bem mesmo nesta ordem mas provavelmente com este fim. Mas faltou humor, faltou criação e parque de diversões com roda gigante natural que roda roda roda girando em torno de seu eixo central. Não existiu infância saudável, aquela que muitos passaram e que muitos não passarão e serão bebuns drogados fritando. Pode-se achar de alguma forma que descrente de tudo decidiu-se escrever isto e assim praguejar contra o parque a rua de cheiro de ralo cheios de baratas e ratos, mas toda vez que se vê um parque de diversões fechando as portas e abandonados ao desgaste ferrugem maresia ventos de alguma forma vê-se crianças tomando rumos diferentes que os dos nossos pais tios e amigos deles e nós mesmo.

Nenhum comentário:

Novos espaços, outros cantos


Cabeças Cortadas Universo de Retalhos - Parceria com minha irmã Danielle Freitas

Parte de mim - o que vira escrita...

Os que me olham, me sentem e me acomapanham

Contador de visitas

Contador de visitas