terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Ilustre Desconhecido

"Um poema como grande abraço perfumado aos amigos da banda Ilustre Desconhecido"

(http://bandailustredesconhecido.blogspot.com/)










Dentre todos os abismos,

com pessoas tantas ao fundo,

porque tudo é mistério

e o mundo parece longe,

a realidade é constante

e incerto são os espaços - caminhos.

Mas abertos estamos,

entregando-nos vamos,

ao desconhecido

e ele voraz nos toma,

nos persegue,

pega no calcanhar,

alcança mesmo quando corremos,

sentamos juntos.

Estamos ao lado do ilustre,

aquele que nos traz de volta,

o desconhecido, mas fiel,

que se move,

anda ao lado e some.

Não tenhamos medo,

Deixemos ir, acompanhar:

o ilustre desconhecido.

3 comentários:

Ilustre Desconhecido disse...

Obrigado...

em sintonia, tinha postado:

A aqueles que deixo na próxima esquina,

Sigam implacáveis

A aqueles que encontro na próxima virada

venham comigo.

Pois o tempo não é nada!

Não basta que faça o seu caminho,

ou siga o meu

pode parecer que as escolhas

já não haviam sido tomadas.

Mas acredite!

Amanhã dê só mais um passo,

e continue!

Pois o tempo...

Ah, não é nada.

(Sei que entendeu)

Danúbio e ainda assim tenho vivido, disse...

Sempre penso que a vida é um espesso escuro, onde vorazmente tateamos algo que seja caloroso e suave ao tato, como no seu abismo. Parece sermos da mesma assência. Vez ou outra encontro pessoas e coisas que são calorosas e suaves ao tato. Nessa escuridão toda você foi minha última doce grande descoberta.
Abraços

Roberta Albano disse...

poesia diferente das que costuma fazer
gostei de ler
talvez a emoção com que a escreveu seja um pouco diferente, talvez por ser homenagem
sei la ^^

Novos espaços, outros cantos


Cabeças Cortadas Universo de Retalhos - Parceria com minha irmã Danielle Freitas

Parte de mim - o que vira escrita...

Os que me olham, me sentem e me acomapanham

Contador de visitas

Contador de visitas