sábado, 18 de abril de 2009

|Leia - veja o novo *2 Zingador e VAN FILOSOFIA!

Dando continuidade à comemoração aos dois anos do Zingador que se dará no dia 30 próximo, onde, intercalando entre novos textos e poesias, estarei republicando textos do passado daqui mesmo do blog. Bem como farei algumas homenagens há uns blogueiros que tocaram meu coração e fazem-me ler mais e mais.
Desde já dou um abraço perfumado bem apertado aos que me acompanham, aos que me lêem e quero vocês por aqui sempre.
**
O texto do passado e sempre novo é:
***
Ser poeta
***
Ver-me poeta. Amar o acaso das palavras: inspiração.
Inspiro o vento das letras e trago-as a contexto,
com o nexo dos meus sentimentos.
Sentir-me poeta. Viver a dor da solidão,
a indexação do sofrimento do mundo,
chorar e não saber ao certo os porquês,
porque ninguém os sabe.
Viver poeta. Olhar no horizonte do tempo,
enxergar a vida, o amor de todo, ilícito ou lícito,
imaginar caldeiras transformadas em ser, inundadas de paixão,
de posologias raras, como todo ser humano.
Ser poeta é falar de amor aos que não entendem,
aos que imaginam entender, aos que vivem, a todos.
Ser poeta é viver o inconstante, é suspirar ao falar de desejo,
de sentimento vasto. Ser poeta é ser, ser sensível.
****
E minha homenagem de hoje é para:
***
Van Luchiari - VAN FILOSOFIA!
****
Olha, tenho lido bastante nos últimos tempos. Virtualmente falando e fisicamente também. Mas é nesse blog que me sinto humano, sensível, sonhador, pegando fogo, ardendo. A Van tem uma sensibilidade peculiar das mulheres, de ser mulher, de ser humana e ser voraz com palavras, sentimentos e desejos. Nossa! Fico sem fôlego diante dessa moça e de sua escrita.
***
E como estou citando, Van peço licença para por um trecho de algo seu:
***
Extraído do poema-texto: DILATADA
----
"... e o teu amor derramado em mim. Mudando minha rota para lugares que eu até então desconhecia. Mexendo no mecanismo dos meus ventos. Mergulhando profundamente em tudo o que eu sou. Denso. Teso. Inevitável e imenso feito tempestade em alto-mar..."
***
VAN, muito obrigado por seu emaranhado de sentimentos e palavras.
***
Abraço perfumado.

4 comentários:

Danielle Freitas disse...

Realmente muito bom!

Van disse...

Ohhhh Gooooooooooood!
Moço, você não existe! Não se fazem mais seres como você. E não é pela homenagem maravilhosa que você me fez, não. É por essa tua alma rica, sensível, poeta! É por isso que te admiro. Porque você, amore, sabe SENTIR!!!!!!!! SABE AMAR!!!!!!! E isso é cada vez mais raro nesse mundo.
AMO! AMEI! AMAREI!
Coisas assim é que me estimulam e me dão força quando eu quero largar tudo. Coisas assim é que me fazem querer ser e escrever cada vez mais e melhor. Ultrapassar meus limites, ir além. Decifrar-me e transbordar.... diariamente.

Estarei sempre dilatada. Pra receber do mundo o que ele me oferece e retribuir com o que posso.

TE ADORO, moço!
Fiquei realmente emocionada e tocada com o teu carinho!

OBRIGADA! OBRIGADA! OBRIGADA!
Além.
Beijucas todas!

Erica Maria disse...

Parabens pelos dois anos!

Lindo poema!

É mt bom estar por aqui...

Bjos!

nodivacomsamantha disse...

Hummmmmmmm estamos de aniversário heim... hehehe que legal.
Parabéns amigo e faço das palavas da Van minhas palavras.
beijão

Novos espaços, outros cantos


Cabeças Cortadas Universo de Retalhos - Parceria com minha irmã Danielle Freitas

Parte de mim - o que vira escrita...

Os que me olham, me sentem e me acomapanham

Contador de visitas

Contador de visitas