quarta-feira, 8 de abril de 2009

Um dia desses - o reencontro 1

Passados três meses desde aquele dia fatídico, em que meu chão pareceu sumir, onde me afoguei num mar de lama, tento não sofrer, não pensar, porque entender realmente eu não consegui e nem conseguirei. Pois bem, ontem me ligou – como tem feito todo esse tempo desde que resolveu acabar com tudo, acabar comigo – mas desta vez eu atendi, queria saber o porquê de uma pessoa ligar para a outra depois de fazer o que fez. Então eu ouvi depois de dizer alô e me silenciar: “Porque não me atende? Porque não retorna as ligações? Porque finge não estar em casa? Por quê? Por quê?” E começou a chorar ao telefone e eu permanecia calado. O que eu poderia dizer? Que eu amava demais e não consegui viver sem sua presença? Ou que isso ou aquilo? Não! Preferi me manter calmo e silencioso. Foi então que conseguiu controlar o choro e me disse: “Abra a porta, que estou aqui!” Estava preparado para tudo, menos para ter a presença novamente, bem ali. Fui em direção a porta, não sei com que força, coragem, fé ou esperança, mas fui. E ao abrir a porta entrou num alvoroço e me abraçou aos prantos. A cada segundo a partir dali eu ficava mais confuso, mais feliz e com mais medo do futuro. Não me largava, num abraço forte, intenso, caloroso e molhado de lágrimas. Lembrei-me de uma virada de ano em que passamos em porto de galinhas, estávamos a sós à beira mar, sem família, sem amigos e quando os fogos começaram a estourar e cintilar no céu, abrimos um espumante e nos abraçamos. Tive a mesma sensação ontem, a de um novo futuro, um novo ano, o conforto do abraço, do amor completo e talvez fosse isso que me fazia tremer e me fez chorar também. Desgarrei-me, precisava de um cigarro e da lucidez para esse reencontro. Não que eu quisesse ou pudesse fugir, mas precisávamos conversar de outra forma. Sempre me culpou de permanecer calado, de não querer conversar, pois bem, aquela era a hora de conversar, de esclarecer tudo, de entendermo-nos.

5 comentários:

Roberta Albano disse...

Acho que estou feliz por você. Nao sei se futuramente vai acabar magoado ou nao
mas vc pode viver triste ou se permitir ser feliz por momentos

Afobório. disse...

olá.

e como disse raulzito: "coragem eu sei que você pode mais."

e os teus textos estão cada dia melhores.

sorte e luz, e boa conversa.

Alexandre B disse...

Muito obrigado. Grande abraço. Alexandre Bonafim.

Erica Maria disse...

Gostei daqui e estou te linkando e seguindo viu?

Lindos textos!

Bjos e feliz páscoa!

Márcio Ahimsa disse...

A renovação se faz sempre pelo entendimento, pelo desejo de querer permanecer sorrindo.

Feliz Páscoa.

Abraços.

Novos espaços, outros cantos


Cabeças Cortadas Universo de Retalhos - Parceria com minha irmã Danielle Freitas

Parte de mim - o que vira escrita...

Os que me olham, me sentem e me acomapanham

Contador de visitas

Contador de visitas