segunda-feira, 21 de julho de 2008

Ser poeta

Ver-me poeta. Amar o acaso das palavras: inspiração...
Inspiro o vento das letras e trago-as a contexto,
Com o nexo dos meus sentimentos.
Sentir-me poeta. Viver a dor da solidão,
A indexação do sofrimento do mundo,
Chorar e não saber ao certo os porquês,
Porque ninguém os sabe.
Viver poeta. Olhar no horizonte do tempo,
Enxergar a vida, o amor de todo, ilícito ou lícito,
Imaginar caldeiras transformadas em ser, inundadas de paixão,
De posologias raras, como todo ser humano.
Ser poeta é falar de amor aos que não entendem,
Aos que imaginam entender, aos que vivem, a todos.
Ser poeta é viver o inconstante, é suspirar ao falar de desejo,
De sentimento vasto.
Ser poeta é ser, ser sensível.

2 comentários:

Nagia disse...

Você é realmente um excelente poeta
Adorei

Nagia disse...

Nesse mundo de tanta correria, de tanta preguiça em ler e escrever é preciosidade encontrar um jovem como você, com tanto amor e inspiração magnífica, ou seja contagiante.
Continue pensando e registrando seus sentimentos e acima de tudo contagiando positivamente outras mentes.
Me orgulho muuuuito de você!
Parabéns!
Beijuuuus
Nagia

Novos espaços, outros cantos


Cabeças Cortadas Universo de Retalhos - Parceria com minha irmã Danielle Freitas

Parte de mim - o que vira escrita...

Os que me olham, me sentem e me acomapanham

Contador de visitas

Contador de visitas