domingo, 2 de novembro de 2008

Próprio


Aquele menino amarelo
Perdido no abismo de si
E no que seus pais projetaram para ele
Não sabe o que quer
Não sabe aonde vai
Apenas está, porque seu corpo prossegue
Insiste em caminhar
Em ocupar um lugar no espaço.

Um comentário:

Anônimo disse...

É madrugada-silêncio.
O dia ainda dorme.
No meu pensamento vagueias Tu.
Andas por aqui em maravilhas de azul recheadas de mimo e ternura.
É incrível a capacidade que tens de me invadir a alma,
E a razão…
É sublime a forma como me tocas com palavras que soltas sob a forma de ternuras-mil
Em cada momento-maresia,
Em cada sentir-alegria
Com que me presenteias ao amanhecer,
Com que alimentas este querer..
E tudo por que És assim
Sublime
Com esse teu jeito

Novos espaços, outros cantos


Cabeças Cortadas Universo de Retalhos - Parceria com minha irmã Danielle Freitas

Parte de mim - o que vira escrita...

Os que me olham, me sentem e me acomapanham

Contador de visitas

Contador de visitas