terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Parênteses


E não mais dizer
Não mais ouvir
Esquecer um tanto
Perceber outras coisas
Deslizar os pensamentos
Não se deixar levar pela lamentação
Acreditar mais em si
caber em si e assim transbordar
Olhar o novo
Por pra fora sentimentos e coisas velhas
Ocupar espaços com algo útil
Rezar mais
Respirar fundo
E jamais, mas jamais mesmo, deixar de amar.

2 comentários:

Lú Mendes disse...

Que lindo seu espaço... Amei horrores, acho que falamos a mesma língua e isso é maravilhoso!!
Este poema é minha cara, meu momento...
Acompanharei o seu com o mesmo afinco e prazer, pode acreditar...
Mil beijocas no coraçãoo guri...

_Thiago disse...

Muito inspirador!

E além de tudo, nunca deixar de escrever estes versos!

Abraços from MT!

Novos espaços, outros cantos


Cabeças Cortadas Universo de Retalhos - Parceria com minha irmã Danielle Freitas

Parte de mim - o que vira escrita...

Os que me olham, me sentem e me acomapanham

Contador de visitas

Contador de visitas