sábado, 20 de dezembro de 2008

Um universo de emoções molhadas e salgadas

Um passeio por "Notas ao tempo e ao vento".


MAR
Faz-me assim tranquila água.
Rosto translúcido a vibrar em tuas ondas.
Prende-me, lambe corpo esse que ama teu sal.
Veste minha alma depois de limpá-la.
E me faz assim, sempre a sorrir.
................................................................
Incrédulo e vazio.
Você mesmo assim não me sai do pensamento.
Veste essa máscara e pensa se esconder.
Não adianta, eu te sigo, te vejo como és e quero.

Um comentário:

_Thiago disse...

O sal no corpo não era das lágrimas,
era do dia na praia com outro. Descobri, mas fechei os olhos
e encostei os lábios nos seus ombros
num pedido de desculpas
não a você
mas a mim mesmo
por eu ser tão desleal
por adorar tanto a tua máscara

Novos espaços, outros cantos


Cabeças Cortadas Universo de Retalhos - Parceria com minha irmã Danielle Freitas

Parte de mim - o que vira escrita...

Os que me olham, me sentem e me acomapanham

Contador de visitas

Contador de visitas